Blog da Lubrificação Industrial

Menu

Camadas limítrofes de superfícies

A primeira vista, a superfície de um metal parece sem maiores atrativos. Entretanto ela é muito complexa conforme mostras as ilustrações abaixo. A primeira refere-se a uma superfície sem a presença de lubrificantes e a segunda mostra a complexidade de uma superfície lubrificada.

Camadas limítrofes de superfíciesb

 

Figura a): camadas limítrofes de superfícies não lubrificadas:

a – gases adsorvidos

b – camada de reação oxidativa

c – camada Beilby (re-cristalizada com deposição de oxigênio)

d – deformação de cristais pequenos

e – estrutura básica pouco deformada

f – estrutura básica sem deformação

 

Figura b): camadas limítrofes de superfícies lubrificadas

a – hidrodinâmica

b – elasto-hidrodinâmica

c – compostos polares absorvidos

d – camada de reação de aditivos EP

e – camada Rebinder (cristais pequenos plastificados pelo líquido absorvido)

f – deformação de cristais pequenos

g – estrutura básica pouco deformada

f – estrutura básica sem deformação

 

Vale lembrar que, na Figura a), a camada de gases adsorvidos apresenta um certo grau de poder lubrificante.

 

 

 

 

Categories:   Lubrificação, Oleo

Comments